Eu sei o sentido da amizade ♥

quarta-feira, 28 de julho de 2010


Eu tenho ctz que todos nós possuimos uma Amizade acima de tudo, ESPECIAL, que Já compartilharm sorrisos e lágrimas. Mas, sobretudo, risadas e cumplicidades.
Siiim, eu tenho meus amigos e posso garantir para todas vocês que eles são os melhores do mundo, pq igual a nossa amizade não existe *-*
Muuitos de meus amigos e amigas eu passei a conhecer á pouco tempo atras, mais o que importa, é que estes chegaram para ficar ! Outras de minhas amizades são beeeeem antiga, e qdo digo isso, significa que é questão de uma amizade de mais ou menos 11 ou 12 anos! AAAh, a gente já passamos taaaantos momentos juntos(as), é tão bom lembrar disso, são pequenos gestos simples ( e samangos) que faz a minha amizade com eles se tornarem mais forte ♥
- Camila B, Daniela, Carol, Euler, Camila O , Juninho, Piico, Bruh, Dany, SaSá, Laura e entre outras, eu amo vocês, vcs fizeram e fazem parte da minha vida, sme vcs nada é divertido :)

Amizade é compartilhar segredos, emoções.É compreensão, é diversão, é contar com alguém sempre que precisar! é ter algo
em comum, e não ter nada em comum, é sentir saudade,
é abraçar forte, é dar preferência, é bater um ciuminho!
amizade que é amizade nunca acaba, mesmo que a gente
cresça, mesmo que outras pessoas apareçam no
nosso caminho!
porque amizade não se explica,
ela simplesmente acontece ♥

Menina sonhadora :)


Pessoiiinhass !! Encontrei esse poeminha tbm na net, achei muito significativo, pois nele retrata mesmo o qto a vida de uma garota é cheia de fantasias ! Parecido com um conto de fadas :)

MENINA SONHADORA!

de Fatinha Mussato

Sou menina sonhadora
Que acredita no amor,
No carinho de namorados,
Nas promessas feitas com calor!

Sou criança, que não quer crescer,
Pois crescer me fará chorar,
Crescer significa sofrer
E eu não quero jamais acordar...

Não quero acordar de meus sonhos
De minhas quimeras, de meus ideais,
Da minha esperança de um dia encontrar
O príncipe que calará meus ais!

Sonho em ter o meu castelo,
Onde meus sonhos se realizam,
Onde os amores são verdadeiros
E as promessas se concretizam!

Quero sempre assim viver...
Sonhando, esperando este dia,
Dia que (em meus sonhos) chegará,
Trazendo consigo alegre melodia!

Melodia que traz amor e paz,
Melodia que meu coração preencherá,
Com risos e muita alegria,
Que muito feliz me fará!

Sonho de menina adolescente :)



Estava aqui pesquisando algumas coisinhas na net, quando encontrei esse textinho que fla um pouquinho sobre a vida de adolescente, que por sua vez, é uma das melhores fases da vida *-*
Achei muito bacana e resolvi postá-lo para compartilhar um pouquinho com vocês ^^

SONHO DE MENINA ADOLESCENTE

"Não deixa morrer a criança que existe em você, pois todo ser humano tem dentro de si , uma criança, um adolescente e um jovem,essas fases pela qual passamos em nossa vida nunca morrem , nós é que quando vem chegando outra fase de nossa vida ,sufocamos aquela que estava conosco ,nos acompanhando por algum tempo , na verdade o que deveriamos fazer era soma-la com aquela que ja habitava em nós ,pense como é maravilhoso ter a alegria das crianças,os sonhos de um adolescente,a coragem da juventude,tudo isso somado a experiência da maturidade, desperte em você a alegria , os sonhos e a coragem e sua alma se renovará , reserve espaços em sua vida para reviver as fases de sua vida que estão adormecidas, você verá que vale a pena revive-las"

Nem tudo é como por tras das Câmeras !

domingo, 25 de julho de 2010


Já reparei que muitas garotas hj em dia vem reclamando de seu namoro, e um dos pontos mais fortes de reclamações é spbre a questão do namorado tratar a garota "diferente" na frente de seus amigos. Esse é mais um dos problemas clássicos de relacionamento. Nos bastidores, tudo funciona perfeitamente, na frente dos outros as coisas dão uma azedada. Por que será?
Eu vejo aí duas possibilidades para justificar esse desencontro: ou a gente está viajando ou eles. E não é sempre assim?
Na primeira hipótese, o que acontece é que nós, eternas românticas, esperamos que os gatinhos ajam na frente dos amigos com a mesma fofice dos momentos a sós. Mas será que não é mesmo meio mico ficar cheio de nhé-nhé-nhé em público? Pode não ser para todo mundo, mas tem garoto (e garota também!) que não gosta de expor sua intimidade para quem quiser ver. Então, talvez seja normal que ele não te chame de docinho/fofucha/neném ou o que for na frente dos amigos, é uma questão de preservar a privacidade e não de falta de amor.
Também temos que entender que, amar não significa exclusividade total. Ou seja, tudo bem se você não for o centro das atenções dele 100% do tempo. Afinal, estar com os amigos é tão legal e tão importante para a vida de qualquer um, que não há problema nenhum se vocês não ficarem grudados o tempo todo quando estão em galera. Vocês são uma dupla, mas não são um só, e isso é ótimo! Fundamental até! O melhor a fazer é aproveitar esses momentos para também curtir suas amigas sem encanação.
Agora, tudo muda de figura se esse “tratar mal” que você diz é tratar mal de verdade. Te ofender, te diminuir, te fazer boba só para mostrar para os amigos que “ele é quem manda” ou mesmo se for apenas para bancar o engraçado. Daí não dá, tem algo muito errado no seu namoro e é preciso fazer alguma coisa a respeito.
A primeira inciativa acho que é sempre chamar para uma boa conversa. E ser realmente sincera, dizer tudo o que te incomoda e exigir uma mudança radical de comportamento. Meio uma aviso mesmo: “fica esperto, garoto!”. Sem essa de ficar com medo de falar tudo o que te machuca porque o moleque pode te largar. Que seja! O que não dá é ficar pagando de mulher do século 19 e suportando toda e qualquer idiotice em nome do “amor” ;)

Ahh, minhas amizades ...

quarta-feira, 7 de julho de 2010


Hoje eu sei que nαdα é como já foi um diα. Mαs sαibα que em nenhum lugαr desse mundo, eu irei encontrαr αlguém como você. Esse αlguém tão especiαl e tão importαnte. Alguém com quem eu pude compαrtilhαr ABSOLUTAMENTE TUDO; αlguém que me ensinou (dα mαneirα mαis difícil) que αs pessoαs errαm e que possuem seus defeitos, já que ninguém é perfeito. Penso em todαs αs coisαs que α gente viveu e eu tudo que α gente fαziα; erα tão bom. Umα αmizαde que me fαz fαltα, porque mesmo que eu tente substituir, não conseguirei. Porque nossα cumplicidαde erα visível, nossα união erα mαior do que quαlquer forçα que tentαsse destrui-lá. És umα dαs poucαs pessoαs α quem reαlmente confio e sei que se importα comigo. Já me provou o quαnto suα αmizαde é verdαdeirα e merece α minhα confiαnçα!


O primeiro dia de aula é um dos mais legais. Será que sua melhor amiga está na mesma sala que você? O professor deste ano é bom? Os novatos serão seus amigos? Tudo é surpresa! E, com elas, vêm um friozinho na barriga e uma vontade de embarcar nessa onda de novidades. É superbacana, sim, mas é preciso ter cuidado para não cometer pequenos deslizes que podem te derrubar depois!
Faladeira X Dedicada
Vencidos os obstáculos da timidez inicial, a tendência é conversar, trocar bilhetes e transformar a classe numa festa particular. Quando perceber que a matéria se transformou em um personagem secundário da sua rotina escolar, repense. Fazer (e manter) amigos é fundamental para que as aulas sejam agradáveis, mas não prestar atenção é um grande problema.

Insegura X Tranquila
Quando o cenário muda, a primeira sensação é a insegurança. A imaginação vai longe para criar situações em que alguma coisa pode sair errada. Não gaste sua energia viajando no que pode acontecer, simplesmente opte por ficar bem e faça dar certo.
Pense direitinho: você é uma menina legal, cercada por pessoas queridas, que já foi a vários lugares diferentes e, a cada vez que você visita um novo, aumenta sua lista de amigos, certo? Você está na escola há anos, trocou de professor em todas as séries e, embora haja os educadores preferidos e os...ahn..."menos preferidos", todos ensinaram o conteúdo, além de um aprendizado extra que você leva consigo. Por que daria errado agora? Ainda que sua melhor amiga esteja em outra sala, não esperneie.
Bagunceira X Organizada
Acordar procurando desesperadamente o livro que você deve levar para a escola não é a melhor maneira de começar o dia. Nem almoçar com pressa para colocar o material diário na mochila! Arrume tudo com antecedência. Dessa forma, você ganha mais tempo para outros afazeres e pode até sobrar uns 5 minutinhos a mais para dormir.
Organização envolve administrar bem seu horário, seu visual e seu material. As meninas mais bagunceiras devem evitar o uso de fichário, já que as folhas tendem a soltar e se perder por aí. Os cadernos com várias matérias, por outro lado, são uma boa ideia para evitar esquecimentos. Quanto aos livros, devem ser bem encapados e etiquetados com nome e série para garantir melhor conservação.

Pensando beem... A escola não é um bicho de 7 cabeças :)

Que Friiioo ! :o

terça-feira, 6 de julho de 2010

No inverno, nosso corpo tende a se adaptar à mudança de estação, mas ele não consegue fazer tudo sozinho. Por isso devemos sempre nos cuidar nessa estação. Ae vão algumas dicas:
Quando tirar as roupas de frio do armário, que estão guardadas desde o ano passado, coloque-as ao sol antes de usá-las. O mesmo deve acontecer com os travesseiros e cobertores. Isso evitará alergias e irritações.
Ah, FIQUE ESPERTA! não pense que o agasalho é suficiente para se proteger do frio e daquela gripe chata. Procure evitar o choque térmico (sair de um lugar muito quente para outro muito frio e vice-versa):)

Atenção à alimentação!
No inverno, o corpo gasta mais energia para manter a temperatura, consequentemente, a fome também aumenta. Não coma besteiras em exagero e não se esqueça de fazer exercícios físicos ou você pode acabar com alguns quilinhos a mais no fim das férias.
Devido ao frio, alguns alimentos mais calóricos, como massas, bolos e chocolates, nos apetecem mais. Não precisa deixar de aproveitar estes pratos, porém, o ideal é equilibrar entre as refeições. Coma frutas, verduras e legumes diariamente, para que as vitaminas possam proteger seu organismo. ;D

Lembre-se que mesmo sem sede, não deixe de tomar água e sucos para manter as vias respiratórias úmidas e hidratar o corpo.
Nessa época a pele fica mais ressecada, por isso são necessários alguns cuidados especiais para que ela continue saudável e bonita. No banho, evite água muuuito quente e buchas. Use e abuse de cremes e óleos hidratantes.
E NÃO SE ESQUEÇA! Mesmo sem se expor ao sol, o filtro solar é essencial para proteger a pele da radiação, que está aí faça sol ou não.
O cabelo também sofre com o frio e precisa de cuidados. Devido ao tempo seco, ele fica exposto à poeira e ao ar seco, o que o deixa ressecado. Por isso, faça uma hidratação a cada 15 dias nos fios e também não exagere no uso do secador.

Assim concerteza você será sempre linda e irradiante, faça chuva ou faça sol ! =)

Adolescencia, a rebeldia da alma?



Nós jovens somos como o fogo. Isso mesmo! Com rumo e orientação, podemos mudar a forma do mundo. Mas sem direção, o fogo da nossa juventude é desperdiçado,tornando uma força destrutiva e perigosa. Levar uma vida significativa quer dizer domar o fogo da juventude; mas primeiro devemos entender o nosso propósito. Rebelião não é o crime; o crime acontece quando a rebelião não tem uma expressão sadia ;D
O período da adolescência está aninhado entre a infância e a idade adulta.Muitas vezes não nos satisfazemos mais em brincar como crianças, mas ainda não possuimos o conhecimento e a experiência para se engajar por completo em assuntos adultos. A juventude é um dos períodos mais preciosos da nossa vida, porém tambéms é o mais difícil.
Muitos adultos simplesmente classificam os anos da adolescência como um período rebelde que uma pessoa simplesmente deve ultrapassar. Enquanto isso, pensamos que os adultos esqueceram como apreciar o significado e a emoção da vida.
E na verdade é isso que queremos, apreciar a vida, viver uma emoção a cada dia, ser feliz.
É claro, nossos pais devem siim nos orientar, porém existe muitos de nós que não aceitam esse tipo de coisa, acham que os pais falam por mal, que não querem que eles se divirtam. E são muito desses jovens que acaba entrando para o mundo do crime, das drogas e da sexualidade.
Por isso eu mesma digo, que devemos escutar nossos pais, por mais chatops que sejam eles, por mais caretas que forem, porque sem eles não somos nada. Tudo o que eles dizem é fato, e não devemos esquecer que um dia eles tiveram nossa idade, e sabem muito da vida, se nos proíbe de alguma coisa, é porque nos ama :)

P.S: Mãe Simone, Pai Evandro, obrigada por tudo, eu amo vocês *-*

Cuide bem das suas madeixas ! ;D

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Toda mulher, desde uma adolescente de 15 anos até uma senhora de 70 gosta de estar sempre com os cabelos bonitos, arrumados e com o visual sempre jovem. Mas apesar disso, temos que lembrar também que devemos cuidar bem do cabelo, de forma com que ele fique sempre saudável :)
Geralmente quem tem cabelos muito finos, os fios são bem mais frágeis por isso quebram com facilidade.
Além disso sofre ainda mais com problemas como oleosidade, queda e outros. Por isso é fundamental manter o couro cabeludo sempre saudável, seco e livre para deixar todos os fios crescerem. O primeiro mandamento é evitar usar chapéus, tiaras, faixas e outros acessórios que possam atrapalhar o crescimento dos fios.
Manter esse tipo de cabelo hidratado não é tão fácil, já que muitos cremes e condicionadores acabam deixando os fios pesados e oleosos. Prefira produtos naturais, que não deixem resíduos e hidratem de maneira uniforme, como produtos feitos de babosa.
Para todos os dias, a dica é o shampoo Anti-queda Klorane feito de Quinine. Vendido em muitas farmácias e perfumarias, o shampoo é natural e ajuda a tratar a queda e aumentar o número de fios. Custa em média R$38,00.

Unhas Rendadas *O*



A moda das rendas já chegou até a manicure!
Quem começou com tudo isso foi Lady Gaga no clipe Bad Romance!
Fica um efeito bem bacana, é diferente… e o melhor? É fácil de fazer!

Materiais:
-Uma tira de renda – são vendidas em armarinhos, feitas para aplicar em roupas e fazer scrapbooking
-palito de dente
-tesourinha de unha
-esmalte para base da unha
-top coat (pode ser extra-brilho, cobertura matte, esmalte incolor… qualquer um que seja transparente, para a finalização)

Passo 1
Corte um pedaço de renda e lave-o MUITO BEM com sabão de coco – ou outro de lavar roupas que tenha em casa. Essa parte é importante para tirar a goma de roupas, que faz ela ficar durinha e firme.

Passo 2
Corte a renda do tamanho das suas unhas.
IMPORTANTE: ela pode ser um pouco menor que a unha. É até melhor uma renda menor, porque fica difícil cortar as rebarbas depois que você aplicou-as nas unhas.

Passo 3
Passe duas camadas de esmalte em uma unha (passe uma camada, espere uns 15 segundos e passe outra).

Passo 4
Repita o procedimento em todas as unhas.
Passe uma ou duas camadas de top coat para “grudar” bem a renda.

Limpe os cantinhos e arrase por ae ! :)



Créditos: Capricho.

Quem são mais românticos... Meninos ou meninas ?


As meninas deixaram de ganhar no quesito romantismo há tempos. Claro, ainda existem muitas. Mas hoje em dia é complicado achar aquelas garotas que sonham com o príncipe encantado e uma vida de contos de fadas. Se existe, a moça já sofreu tantas desilusões amorosas que resolveu enterrar os seus sonhos.
Por outro lado, desde que os meninos começaram a usar lápis no olho, eles começaram a deixar de canto também aquela regra de sempre bancar o machão... Hoje alguns mandam flores, abrem mais o coração, choram por amor, fazem loucuras e até escrevem poemas. Dúvida?
Existem garotos que vivem uma relação que, aos olhos alheios, parece maravilhosa. O cara manda flores, dá chocolate, cesta de café da manhã na cama, fez questão de usar aliança, pede em namoro e tals. Só que em alguns casos como este existem meninas que não dão á mínima é namorados assim, é onde que acontece que o carinha acaba desanimando e partindo para outra.
Por outro lado, as mulheres quase nunca perdem o romantismo. Sempre se declarando, fazendo juras de amor, lembrando das datas de aniversário de namoro e demonstrando excessivamente sua paixão. Claro que há exceções, tanto de homens quanto de mulheres descritos aqui, mas na minha opnião, elas sempre serão as mais românticas e eternas apaixonadas! É extiinto ! :D

Namoro na adolescência

domingo, 4 de julho de 2010


Namoro na adolescência é tão comum como almoçar todos os dias… Nós jovens de sexos opostos nos conhecemos e logo já nos encontramos perdidamente apaixonados um pelo outro. Já fazemos juras eternas e prometemos dar tudo pelo outro.

E justamente por dar tudo, que esperamos recebermos tudo em troco… É como dizem ”As pessoas que mais gostamos são as que mais nos decepcionam, por acharmos que são perfeitas, e esquecermos que são humanas”.
Temos o dom de achar tudo perfeito, de sonharmos, e de crermos em um futuro melhor, não que isso seja ruim, pelo contrário, isso é muito boom :)

E esses namoros são essenciais para nos transformar em adultos maduros… Tem certas experiências que não bastam ser contadas, tem que ser vividas.
Mas o namoro não pode atrapalhar os estudos, a convivência com os amigos e nem com a família. Namoro com consciência e moderação não faz mal a ninguém! ;D

Ela queria ele ...



...ele queria ela e outras; ela sofria, ele nem ligava; ela chorava, ele ria; ela falava, ele não ouvia; ele mentia, ela acreditava; ela o esperava, ele não voltava. Ela queria coisa séria, ele só queria se divertir; ela demonstrava seus sentimentos, ele brincava com seus sentimentos; ela sorria pra ele, ele ria dela; ela acreditava em tudo que ele dizia, ele dizia o mesmo para αs outras; ela se iludia, ele alimentava a ilusão; ela espera por ele, ele já está em outra. ela ama, ele gosta; ela fazia tudo por ele, ele dizia não se contentar com tão pouco; ela achava que ia dar certo, ele tinha certeza que ia dar errado; ela queria pra sempre, ele só por um momento; ela se entregava, ele evitava; ela falava: eu te amo, ele apenas sorria; ela ficava por conteúdo, ele ficava por quantidade; ela procurava o príncipe, ele procurava a próxima. Ela queria "O", ele queria "UMA"; ele descobriu que ela era A ÚNICA, ela descobriu que ele era só MAIS UM.

Como as folhas do outono ....



Em uma pequena cidade, viviam duas crianças que eram muito amigas. Elas se divertiam, brincavam e choravam juntas. Não importava se fazia chuva ou sol, estavam sempre juntas.
Certo dia, quando estavam na beira do rio, uma criança disse a outra que estava indo embora, pois seu pai tinha conseguido um emprego em outra cidade. Muito triste, a criança que recebeu a notícia perguntou:
- Quando nos veremos novamente?
Então, a outra respondeu:
- Consegue ver essas árvores na beira do rio?
- Sim.
- Assim como temos certeza de que no outono as folhas dessas árvores vão cair, mas mesmo assim as árvores continuarão no mesmo lugar, assim será a minha amizade: presente e constante.
- Mas se eu nunca mais chegar a te ver?
- Se isso acontecer não se preocupe, pois a nossa amizade está gravada em cada um de nossos corações. Não importa se estarei perto ou longe, pois você sempre terá boas lembranças de mim, e as lembranças nós conseguimos guardar com carinho.
Terminando de falar, saiu, foi embora e nunca mais voltou. Porém, aquela criança que um dia havia perguntado sobre a amizade, nunca perdeu as esperanças, pois sempre que era outono voltava para ver as folhas que caiam das árvores e percebia que aquilo sempre acontecia, estando presente ou não. E é assim que deve ser a amizade: pura e verdadeira como os sentimentos de uma criança.

Autora: Renata Jorge Carneiro

- Dedicado para todos os meus amigos, em especial: Carol, Euler, Camila Oliveira e Dani *-*

Garotas são tão complicadas




- A vida é cheia de incertezas, alegrias, tristezas, angústias, amores, dúvidas, prazeres e tantos outros desafios que temos de enfrentar a cada dia de nossas vidas. Encarar e enfrentar de frente, superar e aprender com tudo isso é a arte de viver. Mas com certeza, não é fácil para ninguém.
E essas dificuldades não são diferentes para garotas. Estamos sempre sentindo que algo está errado, ou que as coisas poderiam estar melhores, ou até mesmo, sentimos que precisamos plantar uma árvore; mudar o mundo.
Mas quantas vezes nossos sentimentos não explicitam a ponto de mostrar exatamente o que fazer? E nos sentimos tão... complicadas. É. Exatamente. Complicada nos relacionamentos, com amigos, com trabalho, etc. Complicadas por não saber o que fazer. Complicadas por simplesmente não entender o que está acontecendo conosco.

Seu mundo tão perfeito ....



-Pαrece αté reαl, desenhαm seu futuro numα bolα de cristαl, eu αndo sem destino, eu posso me perder, mαs dizem que sou louca julgαm sem me conhecer, um diα nossα sorte tudo pode mudαr, num vento leve você veio αssim prα mim, αgorα tudo que eu preciso, é ter você comigo quero te provαr, eu vou dizer tudo o que você quiser ouvir, eu vou fαzer tudo αquilo que você sonhou, eu vou mostrαr tudo que você quiser ver, eu vou fαzer do jeito que você sempre quis! ♫

Era dia 7 de outubro...



Ana se lembrava bem. Como em todos os outros dias, ela se levantou, entrou embaixo do chuveiro, lavou seus cabelos, colocou uma roupa, comeu algo e foi pra escola. Quando a garota chegou em casa, abriu seu MSN. Um convite novo. ‘Aceite’, pensou ela. Foi por sua intuição, sempre ia. Era um garoto, chamado Bruno. Os dois começaram a conversar. Com o tempo descobriram que gostavam das mesmas bandas, das mesmas comidas, do mesmo tudo.
Tinha quase tudo em comum, exceto uma coisa: a cidade. O garoto morava em Londres. A garota, em Bolton, uma pequena cidade ao sul da Inglaterra.
Eles começaram a conversar mais e mais. Cada dia mais, cada vez mais. A mãe de Ana achou que estava viciada em internet, o que realmente estava. Ela estava certa, Ana não podia contrariá-la. A garota era apenas muito preocupada com seu futuro, não deixava de fazer lições de casa para entrar no computador. Mas assim que acabava, ligava logo o aparelho.
Era também o caso de Bruno.
O garoto sempre que chegava da escola deixava o computador ligado, com o Messenger aberto. Desligava a tela do computador, e fazia a lição. Sempre tinha pouca, então ficava esperando Ana, até 6 da tarde, que era quando a garota entrava, mais ou menos.
Os dois começaram a conversar aos 17 anos, e foi assim. No começo dos 18 anos, aconteceu a coisa mais esperada pras amigas de Ana (sim, porque as amigas sabiam de tudo, e esperavam há cerca de 9 meses algo acontecer): Bruno a pediu em namoro.
E foi assim, se conheceram por um computador, namoravam por um computador. O que os dois tinham era maravilhoso. Uma coisa que as amigas de Ana jamais haviam experimentado, ou ouvido falar. Nem mesmo na ‘vida real’. Eles confiavam um no outro mais que qualquer casal que todas as amigas de Ana já tinham visto, ou ouvido falar. Isso requer, realmente, muita confiança. E eles se amavam. Quando as amigas de Ana passavam o dia na casa da garota, elas viam a conversa. Elas conseguiam sentir o amor.
Eles estavam completa e irrevogavelmente apaixonados. Não havia nada que mudaria aquilo. O tempo passou, os dois ficavam mais apaixonados a cada dia (o que ia totalmente contra as idéias de Marcela, amiga de Ana. A garota pensava que a cada dia que se passasse, a tendência era o amor se esvair. Eles provaram que estava errada). Todo dia de manhã, na hora da aula dos dois, Bruno ligava para a garota. A acordava, para começarem o dia com a voz um do outro. Um dia o garoto apareceu com a boa notícia: ele conseguiria ir para Bolton. Passaria um dia lá, pois viajaria.
Eles se encontraram à noite, em frente à ex-escola de Ana. Ela conversou com o garoto. Ana não quis beijá-lo.
- Vou ficar dependente de você. Sei que você é uma droga pra mim, é viciante. Então se eu te beijar hoje, não vou conseguir ficar mais um minuto longe de você. A gente vai se reencontrar. E ai, vamos ficar juntos pra sempre.
Ela disse e o abraçou. Com mais força do que já abraçou outra pessoa. E o garoto se contentou em encostá-la. Ele sabia que o que Ana estava falando era verdade. Eles IRIAM se encontrar. E IRIAM passar o resto da vida juntos. Ele tinha certeza que ela era o amor da vida dele. Bom, agora a ‘maldita inclusão digital’ se transformou na melhor maldita inclusão digital.
O tempo passou rápido quando eles estavam juntos. Se divertiram muito, e Bruno gostou da simpática cidade da sua namorada. Ele foi embora no dia seguinte, cedo demais para conseguirem se despedir.
O tempo passou, e o amor dos dois só ia aumentando. Passaram-se 6 meses desde que Ana tinha conhecido seu namorado pessoalmente, e Marcela ainda não entendia por que eles não tinham se beijado.
- Any, você já parou pra pensar que pode ter sido uma chance única?! Você foi idiota, você sabe disso, né? – A garota dizia, sempre culpando Ana.
Mas ela sabia o que era melhor pra ela. Já tinha cansado de explicar para Marcela. Não explicaria mais uma vez. Haviam 9 meses que os dois namoravam, e um ano que se conheciam.
Eles se amavam muito, mais que qualquer pessoa que as amigas e amigos do casal já tinha visto. Um dia, Bruno apareceu com a notícia: ele conseguiu uma bolsa em uma faculdade em Bolton, e se mudaria para a cidade tão desejada.
Ana se chocou com isso. Por semanas se perguntou se sacrificaria o tanto que o garoto iria sacrificar por ele. Mas ela não era a maior fã de pensamento. Isso a fez mal.
- Any, deixa de ser besta. Você o ama, até eu posso perceber isso! E você sabe, eu não sou a pessoa mais esperta do mundo. – Marcela disse, encorajando a amiga.
- Eu sei, Marcela, mas... Ele tá desistindo da vida toda dele em LONDRES pra vir pra BOLTON! Por mim! – Ana disse – E pela bolsa que ele ganhou na faculdade, mas é mais por mim, ele me disse.
- Ana, presta atenção. – Ana olhou pra amiga. – Você não sabe quantas meninas invejam você. Não sabem mesmo. Eu, por exemplo, te invejo demais. Daria qualquer coisa pra ter um namorado como o seu.
Vocês confiam tanto um no outro, e se amam tanto. Eu tenho até nojo de ficar no quarto com você quando você ta conversando com ele. É um amor que se espalha no ar, que nossa senhora! Eu consigo sentir os coraçõezinhos explodindo pelo quarto. Ai fica tudo rosa, e você fica com uma cara de sonho realizado pro computador! Any, pára de subestimar o que você tem. Deixa de ser idiota.
- Você é um amor, sabia? Marcela, não sei. Não dá. Eu não desistiria de tanto por ele, e eu acho injusto ele desistir de tanto por mim.
Marcela bufou. Porque a amiga tinha que ser tão burra?
Meses se passaram, o tempo passava rápido. Ana não terminaria o namoro por messenger, frio demais. Ela esperaria o namorado chegar.
A garota tentava adiar o máximo possível, por mais que quisesse ver o garoto de novo. Ele tinha um cabelo lindo, e olhos mais ainda. Ana conseguiria ser invejada por todas as garotas da cidade se fosse vista com ele. Mas ela não queria inveja. Queria seguir o seu coração.
Quanto mais Ana queria adiar a situação, mais as horas corriam, e com elas os dias, as semanas, as quinzenas, os meses. O ano.
Chegou o dia; Ana esperou o seu futuro-ex-namorado onde se encontraram meses atrás.
Ela negou o beijo mais uma vez. O namorado ficou sem entender, mas aceitou.
- Olha, eu tenho que conversar com você.
- Diga. – Bruno sorriu.
- Quando você me disse ‘Vou me mudar pra Bolton’, eu fiquei feliz. Mais feliz que já fiquei há muito tempo. Mas depois eu comecei a pensar se faria o que você ta fazendo por mim. Você desistiu de toda sua vida em Londres, Bruno.
- Eu sei. Pelo melhor motivo na face da Terra.
- Não, não é. Eu sinto que eu não to sendo justa com você. E sem ser justa com você, eu não sou justa comigo. Eu não sei se eu faria o que você fez. Eu acho que não. Eu sou egoísta demais, eu não sei. Não quero mais ser injusta com ninguém, não quero dormir pensando isso. Há meses eu penso nisso, e fico com peso na consciência. E, de verdade, eu não sei se seu amor é o suficiente pra mim. – A garota disse e virou as costas.
Foi andando para a sua casa. E ao contrario de momentos tristes clichês (n/a: eu odeio clichês), não estava chovendo. O céu estava azul, o sol brilhava, como raramente acontecia em Bolton. Mas o que estava dentro de Bruno (e de Ana) não era assim tão brilhante.
Para Ana chegar em casa, tinha de passar pela frente da casa de Marcela – era esse o motivo de um sempre estar na casa da outra; elas moravam lado a lado. A garota passou correndo, chorando, enquanto Marcela estava na janela. Marcela saiu correndo de casa – ignorando completamente o estado critico em que se encontrava: blusa dos ursinhos carinhosos, cabelo preso em um rabo-de-cavalo mal ajeitado, short curto de florzinhas e pantufas do tigrão – indo logo para a casa da amiga. Ela bateu a campainha, e a mãe da amiga atendeu. Disse que podia subir as escadas, Ana estava em seu quarto.
Marcela subiu correndo, tropeçou, quase caiu 3 vezes – ‘Malditas escadas enormes’, pensava – mas chegou ao quarto em segurança (lê-se sem sangue escorrendo pela cara).
- Any! O que foi, amor? – A garota encontrou a amiga deitada, chorando em sua cama.
- O Bruno! – Ana não conseguia falar direito. Por essa mini-frase Marcela tinha entendido. Não tinha mais Ana e Bruno pra sempre e sempre e sempre e sempre. Agora era Ana.
A garota aprendeu a viver com a dor. Passaram-se 5 anos, Bruno estava formado em direito, era um advogado de sucesso, ainda morando em Bolton – nunca largaria a cidade que abrigava seu, ainda, maior amor. Ana era uma fotógrafa de sucesso, ganhava a vida fotografando famosos de todo mundo – mas não saíra de Bolton também, amava a cidade com todas e cada fibra de seu ser.
Bruno era melhor amigo de Ana, Ana era melhor amiga de Bruno. Ana tinha um noivo, um executivo de sucesso, que vivia de Londres pra Bolton, de Bolton pra Londres. Já Bruno sabia: por mais que tentasse achar alguém igual à Ana, não conseguiria. Só ela seria o amor da sua vida, que ele amava excepcionalmente. Nunca iria mudar.
Ana iria passar algum tempo fora da cidade, iria para a capital, fotografar uma banda inglesa. Iria dirigindo à Londres – depois de tanto custo para tirar a carteira de motorista, agora queria mostrar ao mundo que tinha um carro e sabia guia-lo.
Um carro. Dia chuvoso. Pista dupla. Um caminhão. Visão confundida. Bebida em excesso. No que isso poderia resultar? Não em uma coisa muito boa, com certeza. O caminhão bateu de frente com o carro de Ana. Ela não estava muito longe de Bolton, portanto ela foi levada para um hospital na cidade. O seu noivo, por sorte, estava em Bolton. Foi avisado, depois os pais, Marcela. E por ultimo, Bruno.
Ele se apressou em chegar ao hospital que Ana estava internada. Ele chegou antes mesmo de Felipe, noivo da garota. Bruno andou por corredores com luzes fluorescentes fracas, brancas, o que aumentava a aflição dele.Como estaria Ana? A SUA Ana? Ele nunca imaginou nada de mal acontecendo à SUA Ana. Ela sempre seria dele, amiga ou namorada. Seria dele.
Achou o quarto em questão, 842. Abriu a porta com cautela, e viu a imagem mais horrível que jamais poderia ter imaginado: Ana, sua Ana, deitada em uma cama de hospital, com ferimentos por todo o rosto e braços – as únicas partes de seu corpo que estavam aparentes. Ele chorou. Não queria ver a pessoa que ele mais amava em todo o universo daquele estado. ‘Frase clichê’, pensou, ‘mas porque não eu?’. As lágrimas caiam com força. Ele saiu do quarto com a visão embaçada pelas lágrimas; não sabia o que podia fazer.Ele foi para o lugar do hospital em que se era permitido fumar, e fez uma coisa que não fazia desde que tinha conhecido Ana: acendeu um cigarro. Começou a fumar, e ficou sozinho lá, encarando a parede. Imaginando se teria sido diferente se ele tivesse continuado em Londres. Ele lembrava, foi quem apoiou o curso de fotografia.
Ah, cara... – Ana chegou se lamentando.
- Que foi, Any? – Bruno sorriu.
- Eu tenho que escolher o que eu vou fazer da vida, mas... É difícil demais!
- Eu sei bem como é... Porque não tenta fotografia? – Bruno apontou para a máquina digital, que agora estava nas mãos da garota. – Eu sei que você adora tirar fotos.
- Bruno, sabia que você é um GÊNIO? – Ana sorriu e abraçou o melhor amigo. SEU melhor amigo.
Se ele não tivesse sugerido o curso, Ana não estaria no hospital à essa hora. Os pensamentos profundos do garoto foram cortados quando a porta se abriu, fazendo o garoto estremecer.
- Ah, que susto, doutor. – Bruno se virou.
- Desculpe. Você é Bruno, certo?
- Certo.
- Bom, você tem bastante contato com Ana, certo? – Bruno balançou a cabeça positivamente. – Nesse caso, eu sinto muito. Para sobreviver, a Ana precisaria de um coração novo.
A lista de espera por um coração é grande, e não sei se ela conseguirá sobreviver até chegar sua vez de receber um novo coração.
Como poderia viver em um mundo sem Ana?! Saiu do lugar. Não podia esperar as coisas acontecerem, e ele ser egoísta e ficar em seu mundo, fumando até Ana ir pra outro lugar. Ele pegou um papel, uma caneta e escreveu um endereço, e um horário, uma hora depois daquilo. Entregou para o noivo de Ana, que agora estava na sala de espera.
- Já foi vê-la? – Perguntou Bruno. O noivo negou com a cabeça.
Ele saiu andando, saiu do hospital. Foi para seu escritório, pegou 3 papéis grandes e digitou 3 cartas. Uma para os pais. Uma para Ana. E uma sobre os desejos que tinha.Ele tomou um remédio depois disso. E dormiu, lenta e serenamente, dormiu. Não acordaria mais. Quando o noivo de Ana chegou, encontrou Bruno deitado no chão, sem pulso. Estava morto. Em cima da mesa, 3 cartas. Um recado para ele: "Eu não gosto de você. Nunca vou gostar. Mas mesmo assim, você tem que fazer algo que não poderei fazer. Leve meu corpo para o hospital, com essa carta em cima dele. A carta que está em cima das outras.
Após isso, entregue a segunda carta para Ana quando ela acordar. E quando a noticia da minha morte chegar, entregue a terceira para os meus pais."
Assim acabava a carta. Felipe não acreditava no que lia. Não acreditou, e nem precisava. Correu para o hospital em seu carro. Ele entregou a carta e o corpo do homem, que agora estava ainda mais branco. Aconteceu na hora; o coração dele foi tirado e levado para Ana. Quando ela acordou, não muito depois, viu os pais dela, seu noivo e os pais do namorado de 6 anos atrás. Eles sorriam e choravam; ela não entendeu. Foi quando viu a carta com a letra dele, escrito o nome dela. Ela pegou a carta e leu, então. "Meu amor, bom dia. É hora de acordar. Eu não pude te ligar hoje, você estava ocupada. Por isso deixei essa carta. Sabe, eu não vou estar ai por um bom tempo, as pessoas sabem quando a sua hora chega. E eu aceitei a minha com a mesma felicidade que eu tinha quando te vi na frente da sua escola. A minha hora chegou quando seu fim estava próximo.Eu te prometi que te protegeria de tudo e qualquer coisa que acontecesse, e mesmo sem chamar, eu estive lá. Desta vez não me chamou, quis resolver sozinha, eu não podia deixar. Eu resolvi dar um fim então. Eu estava ficando cansado, o trabalho pesava demais. Mas porque agora? Eu não sei. Mas não teria sentido eu viver em um mundo que você não existe. Então eu decidi ir antes e ajeitar as coisas. Pra daqui a alguns anos nós conversarmos aqui na minha nova casa. Agora eu tenho que ir, meu amor. Esse coração no teu peito, esse coração que bate no teu peito. É o mesmo coração que está inundado do amor que você disse não ser o suficiente. É o mesmo coração que lhe dava amor todo dia. Por favor, cuide bem dele. Agora eu preciso ir, preciso descansar um pouco. Eu vou estar sempre contigo.
Eu te amo !
PS: Não sei se vou conseguir te acordar amanhã. Você me perdoa por isso?"
Então ela chorou. Chorou e abraçou os pais, os pais dele. Chorou como nunca, e tremia por tantas emoções passarem por seu corpo. Ana encarou o noivo. Terminou o noivado naquele dia. Não adiantava esconder algo que estava na cara: ela amava Bruno, e seria sempre o SEU Bruno. ELE era o homem de sua vida, não Felipe. O homem que sempre esteve lá, amando-a ao máximo. Em qualquer momento.
Ela chorou muito, e seguiu a vida. Todos os dias ela lembrava de Bruno. Viver em um mundo sem ele não fazia sentido. Mas não desperdiçaria todo o amor e que estava dentro dela. Ela podia sentir seu coração batendo. Ela lembrava a cada momento, que mesmo separados eles estavam juntos. Mas apenas uma coisa fazia seu coração se apertar, se contorcer de dor. Que fazia uma lágrima se escorrer sempre que pensava nisso.
Ela sentia falta daqueles beijos. Dos beijos que foram negados. Mas ela foi feliz. Morreu com seus oitenta e tantos anos. Mas era sempre feliz. Afinal,
O coração do homem de sua vida batia dentro dela.

Gloss, rímel e Blush... Sempre !

sábado, 3 de julho de 2010


Toda menina gosta de andar sempre bem arrumada. Seja para sair ou seja para ir apenas na esquina da sua casa, nós garotas sempre queremos estar bonitas ;D
Mas é claro que não devemos abusar muito de nosso make quando está de dia! Como por exemplo, não devemos passar um mega batom vermelho em nossos lábios ou uma sombra de glitter para sair em plena luz do dia!
Então a dica é usar uma maquiagem bem leve, natural e bonita. Tudo muito simples e fácil.
Primeiro, você prepara a pele, de preferência com um corretivo de tonalidade um pouquinho abaixo da sua pele, depois aplica o blush (bem pouco), e em seguida maquia os olhos com uma sombra clara, somente mesmo para iluminar e realçar um pouquinho os olhos. Depois você pode maquiar seus lábios com o batom com de boca ou então apenas com um gloss incolor (fica show). Quanto á aplicação do rímel, devemos tomar bastante cuidado para que não borre, a dica é usar um rímel incolor. Outra diquinha bem legal é usar um rímel que tenha o pincel grande, pois além de ser mais maneável de usar, maior será o realce de seus cílios e cílios bem realçados não fica feio para o dia! Desde que você siga as outras dicas acima, sem abusar e nem extravasar nas tonalidades de batom e sombra :)

AAH, nós garootaas ...

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Certamente somos um dos seres mais complicados que deve existiir !
Cada dia que passa, cada hora e cada minuto, turbilhões de coisas passam em nossa mente ...
O que seria o Universo de uma adolescente?
Uma chuva de imagens e informações, um verdadeiro vulcão em constante erupção!
Que garota que nunca se apaixonou por "aquele" professor ? Ou senão, que garota nunca teve implicancia com aquele professora?
E Aquela vontade de chegar logo o recreio e encontrar a sua paixão?

Ao longo de nossa juventude, que por sua vez infelizmente é uma fase muito curta, descobrimos milhares de coisas, mais eu tenho certeza que é nesta fase da vida que de pouco á pouco vamos descobrindo o mundo em que vivemos. Bom, não diria que seja descobrir o verdadeiro mundo completamente, mais sim, aprendemos á valorizar a vida!
Sinceramente para mim, a nossa adolescência é um mundo repleto de magias *-* e isso faz com que a gente (principalmente nós meninas) nos enganos um pouco. Muitas vezes achamos que paixão é amor, e que o nosso amor é o GRANDE amor da nossa vida ! (mas hás vezes estamos certas ;D ).
Siim ! Nós meninas nos apaixonamos muito fácil, o que faz muitas vezes a gente feliz, mais também muitas vezes derramos lágrimas por alguém.
Aah, mais esta é uma fase tão boa da vida ! Fase tão boa, que passa muito rápido :( , e quando a gente menos se espera o futuro se apresenta, sem perguntar se já pode chegar :S
A Dica é aproveitar! õ/

Obs: Leiam "Confidências, Confusões e Garotas " de Gustavo Reiz ;D